Cabelo com efeito chiclete – como evitar e tratar?

Cabelo com efeito chiclete – Dicas e Soluções

 

Cabelo com efeito chiclete

Cabelo com efeito chiclete

Com a quantidade de química exagerada, como descoloração, seguida por mechas e depois um alisamento ou muita chapinha, o cabelo perde a elasticidade e vira “chiclete”. Você estica e ele não volta ao normal. Perde o brilho, a força e fica todo quebradiço e cheio de pontas duplas. Bate o desespero em ver o cabelo com efeito chiclete e você não sabe o que fazer. Chega a pensar que vai ficar careca. Mas calma lá! Tudo é uma questão de tratamento, talvez um corte e muitos aprendizados!

De acordo com a médica Maria Fernanda Reis Gavazzoni Dias, dermatologista do Pantene Institute no Brasil, a melhor forma de evitar o cabelo com efeito chiclete é a hidratação. Além disso, claro, controlar o excesso de tintura, descoloração e alisamentos no cabelo. “Fazer uma hidratação semanal e manter a limpeza e higiene capilar são importantíssimos para que o cabelo não vire chiclete. Esses procedimentos são os mais adequados para que a cutícula da fibra capilar se mantenha íntegra, mesmo quando o cabelo recebe química ou chapinha, por exemplo. Assim, a fibra não estraga e o cabelo não perde a elasticidade”, conta a especialista.

Para quem não sabe, a cutícula é a parte do fio onde se concentra a força e a resistência da fibra capilar, que faz o cabelo ficar bonito e crescer naturalmente. Sem hidratação e sem limpeza, essa cutícula não permite que o fio ganhe força. Assim, o cabelo fica cada vez mais fraco e sem elasticidade. Ou seja, vai ter mais chances de perder a força e pode sofrer o efeito chiclete. De acordo com a dermatologista, o fio que já está traumatizado, o cabelo com efeito chiclete deve ser recuperado primeiro, com muita hidratação, um pouco de corte nas pontas e também com uma reconstrução capilar, para depois ser submetido à química novamente.

Hidratações profundas conseguem atingir diferentes camadas do fio, até chegar na cutícula e devolver toda os nutrientes responsáveis pela força e vida dos fios. “É importante fazer um trabalho de reconstituição do fio para que a cutícula e as escamas do cabelo fiquem novamente fechadas. A reconstrução capilar vai ajudar a lubrificar essas escamas e deixar todo o comprimento do cabelo com umidade, nutrição e proteção. Que é o conjunto de fatores que recupera o cabelo e não deixa ele sofrer mais agressões”, explica a médica Maria Fernanda.

De acordo com ela, para voltar a ter um cabelo saudável, a reconstrução da cutícula e a selagem dos fios é fundamental para que o cabelo ganhe força novamente. “Os produtos de hidratação e reconstrução capilar vão formar um filme protetor em todo o seu cabelo, em cada fio. Assim, as escamas ficarão fechadas e lubrificadas. O resultado é um cabelo brilhoso e macio. Além disso, é preciso cortar as pontas para que o cabelo ganhe movimento e força e também é recomendado evitar o uso do secador, da chapinha e de qualquer química.

Cabelo com efeito chiclete – Sobre o corte

Mesmo que para você cortar um pouco de cabelo já é um problema e sofrimento, a médica alerta que o cabelo cresce um centímetro por mês. É necessário, para a beleza e elasticidade dos seus fios que você corte cerca de três centímetros a cada três meses. Isso vai evitar o aspecto de frizz, ponta dupla e ressecamento.

Cabelo com efeito chiclete – como evitar e tratar?
Vote no artigo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *